O que deu para fazer em matéria de história de amor

“Histórias são recebidas, hoje, sempre com um meio ouvido. Todos meio ouvintes que, mal se iniciam na narrativa, já pensam em outra coisa. Claro, vontade, sim, eles têm, de umas pequenas férias da vida lá deles. Umas pequenas férias de si mesmo, quem não quer? Mas entram (entramos) sem acreditar muito em nada. Tentam (tentamos) uma meia entrada com nossa atenção a meio pau em uma seminarrativa sobre o quê, mesmo? Ah, sim, vidas alheias que talvez sejam as nossas. Fazem isso (fazemos) para tentar recuperar, à distância, e sem grandes esforços, a vida. A nossa. Mas sem acreditar muito que vá de fato funcionar. Eu sei. É igual para mim.”

o-que-deuConheci a escritora e desenhista Elvira Vigna de um modo nada poético. Uma listinha de autores nacionais, fornecida por Carola Saavedra em um curso que fiz. A listinha era grande, mas bati o olho no título Deixei Ele Lá e Vim e algo se moveu em mim. Além de nacional, o livro era escrito por uma mulher, outro ponto positivo. Assim, tentando diversificar minhas leituras, comprei. A leitura do Deixei ele lá e vim foi seguida por um ímpeto consumista. Comprei vários livros dá autora. Praticamente todos, exceto os voltados para literatura infantil. E todos foram lidos rapidamente. Exceto um. O que deu para fazer em matéria de história de amor foi o que ficou para trás.

Acabo de terminar a leitura desse livro, que mistura duas histórias de quase amor, ou duas histórias de amor. A da Arno e Rose, dois judeus alemães cujas famílias vieram para o Brasil  durante o nazismo, e Roger, filho dos dois, com  a narradora da história. Como os demais livros da autora, este também não contém nada do sentimentalismo, como próprio título parece indicar. Não se trata de uma história de amor convencional. Aliás, nada neste livro é convencional, inclusive a escrita de Elvira, uma prosa seca, bonita, cheia de pequenas preciosidades.

A narradora nos conta, preenchendo as lacunas e inventando detalhes, a história de Arno e Rose, que é também uma história de estrangeiros, de pessoas que não se encaixam em lugar algum. Arno e Rose, sozinhos juntos, juntos sozinhos. Arno se torna um artista moderno, que jamais alcança grande sucesso, e que morre pouco depois de sua esposa, Rose. Roger, seu filho, cuida dá galeria que herda de seu pai, juntamente com a narradora

A arte, portanto, está no centro dessas histórias. Mais ainda, pois cabe à narradora procurar uma última peça de Arno para uma exposição comemorativa de seu aniversário. Assim, a narradora parte para Guarujá, onde o artista e sua mulher moraram pelos seus últimos anos. Cercada pelos restos de coisas do casal ela é ainda mais invadida por essa história que inventa: a história de Arno e Rose que, de algum modo, é paralela à sua história com Roger.

A narraçãoheart entrelaça as vidas dos dois casais, procurando entender e clarear uma por meio do que se sabe ou imagina sobre a outra. O sentido de ambas as histórias, no entanto, não está dado desde o princípio: podem ser histórias de amor ou, pelo contrário, histórias de indiferença. Adultério, expatriamento, solidão, as dificuldades dos relacionamentos são todos temas que estão presentes no livro, tratados de modos acurados, sutis e ao mesmo tempo cortantes.

 

elviraELVIRA VIGNA

É escritora e desenhista. Nasceu em 1947, no Rio de Janeiro e atualmente mora em São Paulo. Formada em literatura pela Universidade de Nancy, na França, é também mestre em comunicação pela UFRJ. Seu romance Nada a dizer, publicado em 2010 pela Companhia das Letras, recebeu o prêmio de ficção da Academia Brasileira de Letras.

Site oficial: http://vigna.com.br

Twitter oficial: @elviravigna

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s